Notícias • Prudente

26 de Agosto de 2017

Filha de Bottosso visita capela do HR para análise de restauração das obras

 

Local deverá passar por reforma e adequações de acessibilidade

 

A convite da administração do Hospital Regional de Presidente Prudente Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, a filha do artista plástico prudentino, José Bottosso (in memorian), Rosa Amélia Bottosso, esteve na unidade e realizou uma visita na capela Jesus de Nazaré. O local é todo revestido por telas e pinturas de Bottosso, feitas em meados de 1997.

 

Além de aproximar a unidade da família, o objetivo do convite foi o de catalogar a obra do artista e apresentar uma proposta de necessidade da reforma da porta e construção de um acesso maior, bem como a restauração de algumas telas, que sofreram deterioração com o tempo, explicou o diretor administrativo do HR, Frei Jacó Silva.

 

 

 

 

O HR pretende ampliar a porta de acesso da capela que hoje é considerada pequena. Outra proposta da reforma, é deixar a capela mais visível aos pacientes e acompanhantes.


 

Durante a visita, Rosa Bottosso observou as telas que necessitam de restauração e se prontificou em indicar um artista ao hospital para realizar os reparos. “Consciente, respeitadora e madura a iniciativa do hospital em preservar a obra do meu pai, que é muito magnífica aqui. Estou feliz pelo zelo em consultar a família antes da realização das obras e considero que a perda da arte será mínima, em relação ao benefício de ampliar a visibilidade do interior da capela”, apontou.


 

Rosa vai se reunir com a família e apresentar a proposta do hospital. Não há um prazo estabelecido para a realização das adequações.

 

História do artista


 

José Bottosso nasceu em 12 de agosto de 1930, em Presidente Prudente, desenvolvia o ofício da pintura principalmente em telas. Bottosso foi um pintor moderno e entendeu o gesto grandioso da pintura muralista. Em 1985, iniciou a arte sacra pintando murais no Santuário de Nossa Senhora Aparecida em Presidente Prudente e não parou mais. Em 1993, deu início aos 47 painéis    da Catedral São Sebastião em Prudente, concluindo a obra após quatro anos. O artista plástico prudentino faleceu há cinco anos, quando estava com 81, vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). 

 

Cultura Inglesa
Willy Macedo