Minhas Viagens • Travel

20 de Novembro de 2017

Diário do Marrocos 16/11/2017

Hotéis

O país recebe muitos turistas e que por isso tem uma ótima estrutura hoteleira na maioria das suas cidades.

 

 

Argan

Passei por uma cooperativa de produção de óleo de argan, algo que só tem aqui, usado na fabricação de um azeite muito caro, mel, doces e produtos cosméticos. É famoso no Brasil o “óleo de argan” para o cabelo.

 

A comida

A gastronomia do Marrocos usa e abusa de temperos e ervas aromáticas.  Os principais pratos são o cuscuz (em diferentes versões) , e o tajine (prato feito à base de vegetais e uma proteína – carne de vaca ou carneiro).  Tem o Méchooi, um espetinho de carneiro temperado com pimenta-do-reino e cominho (esse tempero complica tudo). Outros pratos usam carne de de aves, inclusive com ossos, ou peixe.  Eles abominam a carne de porco. À mesa está sempre o pão marroquino, azeitonas temperadas e o azeite. O pão é usado como talher. Nos pequenos restaurantes paga-se de 10 a 20 reais para comer. É um país barato. O café da manhã no hotel sempre tem panquecas, pão, queijo, azeite chá de menta, o café deles. Bebidas alcoólicas só são servidas em restaurantes de turistas.

 

Hora de rezar

Cinco vezes por dia se ouve alto falantes espalhados por todas cidades chamando os muçulmanos para rezar nas mesquitas.

 

Cinematográfico

Primeiro contato com a culinária típica marroquina e com o chá de menta foi no Ricks Café, o restaurante ambientado para o épico filme Casablanca, de 1942. No segundo andar o filme que notabilizou a cidade é exibido de forma permanente e um pianista toca clássicos do cinema.

 

Metrópole

Arquitetura da cidade de Casablanca foi inspirada na francesas Marcelha. Os exemploes do estilo art déco e art nouveau estão espalhados pelas ruas.

 

Cuidados a tomar

Aprendi na primeira vez que saquei a câmera: marroquinos não gostam de ser fotografados e escondem o rosto quando notam uma câmera na mão de alguém, mesmo que você esteja tentando retratar apenas a paisagem ou o ambiente.

 

Bislama!  (Até logo, em árabe)

Cultura Inglesa
Interplan
Willy Macedo