Minhas Viagens • Travel

20 de Novembro de 2017

DIÁRIO DO MARROCOS 17/11/17

A Medina

As cidades marroquinas são divididas em duas partes. Uma antiga, cercada por muralhas, que se chama Medina, mistura moradias tradicionais, milhares de ruas e vielas estreitas (fácil de se perder), algumas de apenas 60 cm de largura, mercados (chamados de souks) e mesquitas, muitas mesquitas. Eles usam muitos burricos, que, justamente pelas características das ruas, são o meio de transporte usado para levar material para dentro da medina e para retirar o lixo. Fora das fortificações está a parte moderna.

 

Diversidade

Imensidão de montanhas, de deserto, de planícies, desfiladeiros, o Marrocos tem de tudo, para todos os gostos. São paisagens surreais, quase pinturas.

 

Sanitário turco

Fora dos principais hotéis turísticos,  os sanitários são do tipo “turco”, instalados no chão. O usuário tem que agachar. Não vi separação entre banheiros femininos e masculinos. O banheiro é único. O lavatório está sempre do lado de fora.

 

 

Rabat

Passamos por Rabat,a capital administrativa e política do Marrocos.

 

Rabat

Em Rabat visitamos o mausoléu onde estão enterrados o avô e o pai do atual rei do Marrocos, Mohamed IV.  O mirante da fortaleza oferece uma visão panorâmica fascinante.

 

Tradicao

O chá de menta é um símbolo de hospitalidade para o povo marroquino. Somos orientados que e’ um sinal de boa educação aceitar, quando oferecem. É delicioso, na realidade tomá-lo não é uma obrigação, mas sim um verdadeiro prazer.

 

Seguranca

 

O Marrocos e’um pais muito seguro, fora situações pontuais que são registradas em qualquer pais. De uma maneira geral os visitantes podem circular tranquilamente por todos lugares. Incomoda um pouco a insistência dos vendedores, mas e’ o ganha pão deles, querem empurrar de tudo, e são teimosos, não agressivos. 

 

 

Bislama!  (Até logo, em árabe)

Interplan
Willy Macedo
Cultura Inglesa