Notícias • Prudente

27 de Agosto de 2019

Vendas de imóveis usados e locação residencial voltam a crescer em SP

Os mercados de imóveis usados e de locação residencial fecharam o primeiro semestre em alta no Estado de São Paulo, segundo mostram as pesquisas feitas mensalmente pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado (CreciSP). De janeiro a junho as vendas acumulam saldo positivo de 36,88% enquanto que a locação registra 16,44%.

Os resultados do primeiro semestre foram influenciados pelo desempenho dos dois mercados em junho, quando tanto as vendas quanto a locação superaram os saldos positivos de meses anteriores. A pesquisa feita pelo CreciSP com 904 imobiliárias de 37 cidades registrou alta de 22,94% nas vendas de usados e de 11,59% na locação de casas e apartamentos em junho comparado a maio. Até então, os melhores índices haviam sido 18,8% nas vendas em abril e 11,16% nem janeiro.

Já os preços fecharam o semestre estáveis. O índice Crecisp, que mede o comportamento dos preços dos aluguéis novos e dos imóveis usados negociados pelas imobiliárias pesquisadas mensalmente pelo Creci, registrou em junho alta de apenas 0,08% e acumulava um aumento de 0,23% no primeiro semestre.

As vendas em junho cresceram em três das quatro regiões que compõem a pesquisa CreciSP: Capital (+ 27,75%), Interior (+ 9,9%) e as cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (+ 83,98%). No Litoral houve queda de 2,75%. Foram vendidos 61,43% em apartamentos e 38,57% em casas.

Os imóveis usados mais vendidos em junho, com participação de 52% no total de vendas efetivadas pelas imobiliárias consultadas, foram os de preço final até R$ 300 mi, com o metro quadrado custando até R$ 4 mil. Os descontos que os proprietários concederam em junho foram em média de 9,44% para os imóveis situados em bairros de áreas nobres, de 8,46% para os de áreas centrais e de 8,91% para os de bairros centrais.

Segundo a pesquisa CreciSP, a maioria das vendas foi feita com financiamento bancário (49,14%), seguida das vendas à vista (46,29%) e das que tiveram financiamento de consórcios ou parceladas pelos donos dos imóveis, ambas com 2,29%.

                                     Aluguel mensal até R$ 1 mil

                                      domina o mercado paulista

A pesquisa feita pelo CreciSP com 904 imobiliárias de 37 cidades apurou que casas e apartamentos com aluguel mensal de até R$ 1.000,00 dominaram o mercado de locação residencial em junho no Estado de São Paulo, com 52,11% de participação no total de novas locações contratadas.

Os novos inquilinos conseguiram em junho descontos médios sobre os valores de aluguéis inicialmente pedidos pelos proprietários de 11,18% em imóveis situados em bairros de periferia, de 10,55% em bairros de regiões centrais e de 10,37% para aqueles localizados em regiões nobres. Os bairros mais centrais, por sinal, foram os preferidos dos novos inquilinos, com 74,67% das novas locações. O restante ficou dividido entre os bairros periféricos (18,61%) e os de áreas nobres (6,72%).

O crescimento de 11,59% no número de novas locações em junho comparado a maio se deveu aos bons resultados registrados no Interior (+ 24,01%) e na Grande SP (+ 32,89%). Na Capital, houve queda de - 5,82%, que chegou a – 0,09% no Litoral.

As 904 imobiliárias pesquisadas pelo CreciSP alugaram 53,52% do total em casas e 46,48% em apartamentos. Foram devolvidas casas e apartamentos que estavam alugados por essas imobiliárias, com os inquilinos alegando motivos financeiros (46,46%) ou mudança de endereço, entre outros (53,52%).

A inadimplência no perído atingiu 5,06% dos contratos em vigor nas 904 imobiliárias pesquisadas, índice 2,93% inferior ao de maio, que foi de 5,21%.

A pesquisa CRECI-SP foi realizada em 37 cidades do Estado de São Paulo. São elas: Americana, Araçatuba, Araraquara, Bauru, Campinas, Diadema, Guarulhos, Franca, Itu, Jundiaí, Marília, Osasco, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Taubaté, Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião, Bertioga, São Vicente, Peruíbe, Praia Grande, Ubatuba, Guarujá, Mongaguá e Itanhaém.

Interplan
Willy Macedo