Nutrição & Atividade Física • Articulistas

16 de Outubro de 2019

Não é “da moda”, mas é a melhor dieta

Jair Rodrigues Garcia Júnior

               Os estudos da nutrição e as dietas evoluíram grandemente nas últimas décadas. Porém, cresceu o número de supostos especialistas que inventam as dietas mágicas ou milagrosas, sem qualquer base na nutrição e seus avanços. Acredite, essas dietas são “ruins”, pois mesmo que ajudem em algum objetivo, prejudicam sua saúde.

 

Características básicas de uma dieta

               A dieta é a soma dos alimentos que ingerimos ao longo do dia em horários pré-estabelecidos. Ela deve conter todos os nutrientes diariamente: carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, minerais, vitaminas e água. Claro que existem proporções e quantidades adequadas de cada um dos nutrientes de acordo com as necessidades individuais. Por isso, as dietas genéricas da moda “não servem para todos”.

 

Posso retirar algum destes nutrientes da dieta?

               Claro que não. Apesar de ser comum as pessoas não consumirem quantidades adequadas de um ou mais nutrientes num dia ou outro, quando há variação dos alimentos ingeridos, há compensação e não ocorrem deficiências. Essa variação dos alimentos é uma característica importante das dietas. Não dá para ingerir dieta “low carb” (com pouco carboidrato) ou comer apenas frango, batata-doce e ovo todos e dias e pensar que a dieta é adequada.

 

O que faz a diferença nas dietas?

               Além do básico, a dieta deve incluir os alimentos funcionais, que contém substâncias com funções antioxidante e anti-inflamatória. Os antioxidantes são importantes para neutralizar os radicais livres, que podem prejudicar as células, causar doenças e acelerar o envelhecimento. Por seu lado, as substâncias anti-inflamatórias são importantes para controlar o estado de inflamação crônica que há em nosso corpo e também pode causar doenças.

 

Alimentos funcionais

               Os antioxidantes são as vitaminas C e E, os minerais selênio, zinco e manganês, os flavonóides, carotenóides e o licopeno. Os anti-inflamatórios são os probióticos do iogurte e ácidos graxos ômega 3, presentes em alimentos menos comuns em nossa dieta, como castanhas, nozes, sementes (linhaça e gergelin), óleos de canola e girassol e peixes.

 

Enfim ...

               Sobre a dieta, a preocupação deveria ser ingerir todos os nutrientes e nas quantidades realmente necessárias. Claro que há alimentos ótimos, bons e ruins. Saber fazer a seleção dos alimentos e ser disciplinado no consumo é um aspecto importante para sua saúde e longevidade. Aprenda um pouco mais sobre os alimentos funcionais e os inclua em sua dieta. Isso sim é ser inteligente e o que fará a diferença em sua saúde!

 

Jair R. Garcia Jr. é doutor em Fisiologia Humana (ICB-USP) e professor de Bioquímica e Nutrição da UNOESTE. jgjunior@unoeste.br Instagram: @exercicionutri

15outubro 2019

Willy Macedo
Interplan