Saúde • Gerais

09 de Fevereiro de 2021

HRCPP realiza procedimento inédito: retirada de dois tumores distintos na mesma cirurgia

Paciente estava com um câncer de mama e descobriu uma metástase no fígado; procedimento permite melhoria na qualidade de vida do portador de câncer

 

O Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente (HRCPP) realizou um procedimento inédito por meio da união entra o departamento Ginecologia e Mastologia com o departamento de Cirurgia do Aparelho Digestivo e o apoio da Oncologia Clínica. Tratou-se da retirada de dois tumores distintos de uma paciente que estava com um câncer de mama e descobriu uma metástase no fígado. Portanto, para garantir a melhora da paciente, os departamentos optaram por realizar as duas cirurgias no mesmo ato anestésico, ou seja, trabalhar a retirada de ambos tumores na mesma cirurgia.

 

Os cirurgiões responsáveis pelo procedimento foram Geraldo Siqueira e Rafael Mello (cirurgia do aparelho digestivo) e Rafael Sá e Raquel Voh Ah Rodrigues (mastologia) acompanhados de uma equipe multidisciplinar.

 

Segundo o mastologista Rafael Sá, as vantagens de uma terapia cirúrgica em conjunto são muitas. “A otimização cirúrgica, ou seja, a paciente faz apenas um procedimento e recebe apenas uma anestesia geral; temos a vantagem de a paciente utilizar menos quimioterápicos, diminuindo os efeitos colaterais do tratamento e reduzindo os custos para a instituição; e também aumentar o prognóstico dessa paciente”, explica o mastologista.

 

Foi utilizado também o protocolo da verde indocianina, que permite a visualização da drenagem linfática em tempo real, traz menor risco de alergia e de a mama ficar corada definitivamente e possui um menor tempo cirúrgico.

 

Para o cirurgião hepatobiliopancreático, Rafael Mello, esse procedimento só foi realizado em razão da interligação entre os departamentos que visa cuidar dos pacientes com a maior qualidade possível.

“Dessa forma, nós realizamos os dois procedimentos, em um só ato anestésico, no mesmo dia, tentando beneficiar ao máximo a paciente e obter o melhor resultado de tratamento oncológico possível”, finaliza Mello.

 

Willy Macedo
O Imparcial
Stetnet